sexta-feira, 22 de março de 2013

Ficha de Leitura - 1

Hoje fui na biblioteca com minha filha e vendo as prateleiras e lendo os titulos dos livros me deparei com um livro que achei bem interessante e resolvi pegar ele. O nome do livro é: What the Scriptures Teach Us about Raising a Child; em português seria: O que as escrituras nos ensinam sobre criar um filho, de S. Michael Wilcox. O autor é pai de 5 filhos e é professor do Instituto de Religião da Igreja na University of Utah.

Eu comecei a ler o livro assim que cheguei em casa e estou adorando. Ele comeca falando sobre como devemos usar as escrituras como um "manual" de paternidade, para nos ajudar a sermos melhores pais e maes. Eu tive a ideia de uma vez por semana postar no blog escrituras e passagens do livro para que possamos discutir um pouco sobre o assunto. Acho que e uma otima maneira de estudarmos as escrituras.Toda sexta-feira voltarei aqui com mais um pouco sobre o livro para que possam desfruta-lo comigo. Por favor, façam comentários para que possamos discutir sobre como poderemos ser melhores maes e pais nessa terra.

A primeira escritura que me chamou atencao no livro foi:

Isaias 64:8:  Mas agora, o Senhor, tu es nosso Pai, nos somos o barro, e tu, nosso oleiro ; e todos nos, obra de tuas maos. 

Gostei muito dessa escritura. Assim como nós somos obra do Pai Celestial, nossos filhos sao nossa obra e resultado do nosso trabalho na sua criacao.

No ultimo domingo na aula da SOC a professora fez uma analogia que me fez pensar. Ela estava contando que o marido dela é amigo de um neto do Presidente Hinckley e em uma conversa com ele perguntaram se era muito '''difícil" ser neto do Presidente Hinckley e ele comentou que realmente existia uma certa pressao das pessoas, sempre cuidando os atos dele entao ele sempre tinha que agir de uma maneira digna de um neto de um profeta e presidente da Igreja. A professora perguntou que se nos lembrassemos de quem somos filhas/filhos diariamente nas nossas acoes, se elas seriam diferentes? Cuidariamos melhor de nós mesmas e das nossas ações se estivéssemos sempre pensando que somos filhas do Pai Celestial?

E esse pensamento se relaciona com a próxima escritura e com o comentario do autor do livro a respeito dela.

Marcos 9: 36 - 37:  Trazendo uma crianca, colocou-a no meio deles e, tomando-a nos bracos disse-lhes:
Qualquer um que receber uma crianca, tal como esta, em meu nome, a mim me recebe; e qualquer que a mim me receber, nao recebe a mim, mas ao que me enviou.

E a respeito dessa escritura o autor falou: ""Ter uma crianca em nosso lar pode ser a coisa mais semelhante a ter o Pai e o Filho proprios dentro de nossas paredes." Sera que se pensarmos assim mais vezes nao tratariamos nossos fillhos de uma maneira diferente? Seriamos mais amorosos, mais pacientes?

No primeiro capitulo do livro ele fala sobre como quando nos tornamos pais estamos na realidade nos tornando aprendizes do nosso Pai Celestial, aprendizes da divindade.

Lendo apenas a introduçao do livro e o primeiro capitulo ja aprendi muito. Me ajudou a ter uma nova visao da maternidade e da nossa responsabilidade de pais aqui nessa terra. O Senhor confiou Seus filhos nas nossas maos para que nos possamos ensina-los como poderao voltar novamente a presença Dele.

Vou terminar essa primeira "ficha de leitura" com uma pergunta que ele lançou: Como nós podemos ajudar Deus a transformar criancas em deuses?

Obs.: Desculpem a falta de sinais, meu teclado pirou, mas nao queria deixar de postar essas coisas.

7 comentários:

Cristina disse...

Este livro parece ser maravilhoso, só pelo título eu imagino!!! Dentre tudo que comentaste, gostei da parte que fala sobre como quando nos tornamos pais estamos na realidade nos tornando aprendizes do nosso Pai Celestial, aprendizes da divindade.
Sempre tive este sentimento e ele se intensificou quando minha filha do meio nasceu (parto normal). Naquele momento compreendi mais profundamente as aulas do Instituto. E entendi a parceria que tinha com meu Pai Celestial

Cristina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jacqueline Bento disse...

Olá, queria agradecer a sua disposição de compartilhar um pouco dos ensinamentos desse livro que não temos em português, eu estou tentando me esforçar muito para ser mais paciente com os meus filhos e tentar vê-los como a presença do Senhor em casa acho que vai me ajudar, vou ficar esperando os seus comentários sobre o próximo capítulo! Muito obrigada! Bjos

Elizabeth Gavilan disse...

Oi, Pri...

gostei demais de sua iniciativa de compartilhar conosco literatura tão inspirada. Tudo acerca sobre criação de filhos me interessa, ainda mais fundamentada nas escrituras. Aguardarei ansiosamente por cada postagem sua sobre esse maravilhoso livro. Obrigada de todo o coração.
Grande abraço.

Tiane disse...

Muito obrigada por compartilhar!!!
Esse tema é perfeito!

Priscila Terra disse...

Obrigada amigas!! Fico muito feliz que tenham gostado da minha idéia de compartilhar o que irei aprender com este livro. Continuem postanto seus comentários!

Priscilla Aquilini disse...

Muito legal esse livro ! É uma pena não termos ele em português, mas entendo o motivos. Tem tantos titulos maravilhosos em português aí, que nunca vieram pra cá... mas, mesmo com a fidelidade de muitos, como um todo nosso país não tem a cultura da leitura, e mal lêem as escrituras...
Obrigado por compartilhar !